Notícias
Analistas descartam novos cortes na taxa Selic em 2012

01 out
2012

Analistas descartam novos cortes na taxa Selic em 2012

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) mantiveram a expectativa de que não haverá mais corte na taxa básica de juros, a Selic, este ano, e reduziram a estimativa para 2013 de 8,25% para 8%. A informação consta do boletim Focus, publicação semanal do BC, elaborada com base em estimativas para os principais indicadores da economia.

Com a economia em ritmo mais lento, a taxa Selic, instrumento para influenciar a atividade econômica e, por consequência, calibrar os preços, começou a ser reduzida em agosto do ano passado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Na última quinta-feira, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, indicou que pode não haver mais espaço para corte na taxa Selic este ano. “Houve choque no mercado de commodities, que, por natureza, é um efeito imprevisto que desvia a inflação temporariamente dessa trajetória de declínio. Nosso entendimento é que, caso não tivesse ocorrido esse choque no mercado de grãos, a inflação iria convergir para a meta este ano”, disse Araújo, na última quinta-feira.

Para o diretor, a inflação ficará acima da meta, apesar do ritmo mais lento da economia nos primeiros seis meses do ano, com expectativa de recuperação neste semestre, devido à alta dos preços de commodities.

Para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a expectativa é de 5,36%, ante 5,35% previstos na semana passada. Essa foi a 12ª semana seguida de alta na projeção para 2012. Para o próximo ano, a estimativa passou de 5,5% para 5,48%.

Cabe ao BC perseguir a meta de inflação que tem como centro 4,5% e margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Dessa forma, as projeções do mercado financeiro estão acima do centro da meta, mas abaixo do limite superior de 6,5%.

A pesquisa do BC aos analistas também traz estimativa para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que foi ajustada de 4,37% para 4,46%, neste ano, e passou de 4,8% para 4,9%.

A expectativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi ajustada de 8,7% para 8,74%, este ano, e de 5,32% para 5,38%. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a alteração foi de 8,47% para 8,6%, este ano, e de 5,26% para 5,27%, em 2013.

Fonte: Terra

Sem comentários

Comente:

You must be logado em para postar um comentário.